Espero que não seja o seu caso. Mas a maioria dos Analytics que vejo tem o problema que trato nesse post.

Para você entender melhor, eu criei a Analogia da Piscada Invertida.

Imagine que você está andando na rua de olhos fechados. A cada 1 minuto você pode abrir o olho por apenas 1 segundo e logo em seguida voltar a fechá-lo para ficar mais um minuto sem ver nada.

E assim o ciclo se repete. Esse é o Google Analytics instalado na maioria dos sites, e isso está muito errado.

A abertura de olhos da analogia seria a visualização de página, o pageview. Tudo que acontece no um minuto de olhos fechados se perde, você não vê porque não mensura.

Entendeu porque Piscada Invertida?

E isso é quase que regra. A maioria dos sites para de configurar o seu Google Analytics no momento em que cola o código de rastreamento. Num mundo que cada vez mais fala em Big Data, você está perdendo insights valiosíssimos e deveria corrigir isso rápido.

Por que isso é tão valioso?

Para você conseguir ter uma Otimização da Conversão, quanto mais ao fundo do funil você mensurar, mais certeiras serão suas conclusões. Ou seja, quanto mais próximo do ato da transação financeira.

O problema é que para ter um teste com resultados estatisticamente confiáveis você precisará ter um volume de conversão significante nessa fase da jornada de venda do seu processo. E nem todos os sites tem esse volume, até por conta do tipo de negócio.

No post sobre Taxa de Conversão, falei da importância de não banalizar o termo conversão, explicando sobre a diferença entre as Macro e as Micro conversões.

É aí que entram as Micro Conversões. Elas acontecem muito mais que as Macro Conversões, portanto, elas te dão a significância estatística para que suas hipóteses de variação sejam aprovadas ou não em um teste de Otimização da Conversão. Mas não saia definindo elas do nada.

Micro Conversões não Saem da Sua Cabeça

A maioria de nós tem uma visão bem clichê de uma conversão. O visitante entra na sua home, clica no call-to-action, vai pra página de cadastro, faz o cadastro e pronto. Você tem seu lead, ou sua venda, dependendo do caso.

Nesse caso, então, a Micro Conversão seria o clique no botão. Mas, não tão rápido.

As Micro Conversões não podem sair dessa visão, por mais que ela esteja correta para uma parte significativa dos usuários.

Então, como descobrir?

Eventos do Google Analytics

Vamos a definição do próprio Google Analytics:

Eventos são interações do usuário com conteúdo que pode ser acompanhado independentemente do carregamento de uma página da Web ou de uma tela. Downloads, cliques em anúncios para dispositivos móveis, gadgets, elementos em Flash, elementos incorporados em AJAX e reproduções do vídeo são todos exemplos de ações que convém acompanhar como eventos.

É muito fácil implementá-los. Você só precisa executar uma linha de Javascript quando acontecer aquilo que você quer medir. Por exemplo:

ga('send', 'event', 'home', 'click', 'call-to-action 1');

Nesse exemplo, estamos executando a função ga e enviando (send) um evento (event) com uma categoria (home), uma ação (click) e uma etiqueta (call-to-action 1). Esses valores são de escolha sua. Imagine uma hierarquia nessa mesma sequência: categoria > ação > etiqueta.

Em outras palavras, estou informando o Analytics sobre um clique que aconteceu na home no primeiro call-to-action. Agora, o olho começa a abrir mais vezes e começamos a ter mais dados. Mas lembre-se: o evento tem que ser disparado no momento da ação que você quer registrar. Nesse exemplo, um pouco de jQuery resolve:

// Primeiro, selecionamos o ID do nosso call-to-action.
// Depois, executamos uma função assim que o usuário clicar nele

$('#call-to-action-1').click(function(event) {
  
  // Por fim, chamamos a função do Evento do Analytics
  
  ga('send', 'event', 'home', 'click', 'call-to-action 1');

});

Vamos Pensar um Pouco

Não se assuste com o código. Se você não domina, converse com um programador. O importante é você dar uma boa analisada no seu site para criar uma checklist de eventos, ou seja, coisas que o usuário pode fazer no seu site, entre uma visualização de página e outra. Assim, você foge da Piscada Invertida. Podem ser cliques, como no exemplo, pode ser o envio de um formulário, vídeos iniciados ou terminados, pesquisas realizadas, enfim, a flexibilidade é imensa.

Enfim, a parte boa

Com o seu Analytics povoado de eventos, você vai descobrir quais deles estão associados com sua Macro Conversão.

Utilize um segmento avançado para filtrar seus relatórios apenas para o tráfego de usuários que converteram. Se você tem uma conversão, você pode usar um segmento já nativo do GA. Se tem várias, aí crie uma só com a que você quer medir. Agora vá para a parte de Comportamento > Eventos > Visão Geral.

Aí estão os principais eventos associados com a sua Macro Conversão. Comece a usar os mais frequentes em suas otimizações. A esses, você pode chamar de Micro Conversões, sem problemas.

Ficaram dúvidas? Sem problemas, podemos conversar. Fique a vontade para comentar ou entrar em contato.

Ajude a espalhar o conteúdo